Make your own free website on Tripod.com

    

Goethe, o grande escritor alemão, disse um dia: "O xadrez é a ginástica do intelecto". Tinha absoluta razão. O xadrez é um jogo sem azar, que se joga num quadrado de 64 casas alternadamente claras e escuras. Esse quadrado chama-se tabuleiro. O jogo de xadrez é disputado por dois jogadores que têm 16 peças cada um: 1 rei, 1 dama, 2 torres, 2 bispos, 2 cavalos e oito peões, brancas todas as peças para um dos jogadores e pretas para o outro. Essas peças obedecem, inicilmante, à seguinte ordem: na primeira fila ficam a torre, cavalo, bispo, dama, rei, bispo, cavalo e torre, sendo que a dama fica na casa de sua cor, se branca na casa branca, se preta na casa preta. Na segunda fila ficam os 8 peões.   

grid3x.jpg (1650 bytes) Peão

O objetivo do xadrez é dar o "mate" no rei do campo oposto. Quem dá o mate ganha a partida. Xeque é o ataque que se faz com uma peça. Xeque duplo é quando se ataca o rei com duas peças, simultaneamente. O xeque-mate é o instante em que o rei não pode se defender. Joga-se o Xadrex-relâmpago, isto é, como o relógio, obrigando os lances mais rápidos dos enxadristas. É também conhecido como xadrez-pingue-pongue. Também há o xadrez-às-cegas, quando um dos contendores não vê o tabuleiro é a chamada simultânea. Há jogadores, os grandes mestres, que enfrentam, no mesmo dia, no mesmo local, vários enxadristas. Há o xadrez-por-correspondência, em que os lances são enviados por carta, telegrama, telefone e, agora, por fax. Os primeiros movimentos de um jogo chama-se abertura. As peças são movidas para ataque ou para defesa. Na fase seguinte já estamos no meio do jogo, quando se define a maior parte dos confrontos. No final, normalmente, estão poucas peças sobre o tabuleiro. Quem começa o jogo está sempre com as peças brancas. O segundo jogador fica com as peças pretas.

 

Rainha, Rei e Cavalo, em estilo Greco-Romano.

No xadrez o rei move-se para a casa contínua, exceto no roque. A dama move-se a qualquer casa situada em sua coluna ou fila da sua casa de partida. Quem começa a aprender xadrez começa justamente pelo movimento das peças e sabe a importância que elas tem no jogo. Cavalo, bispo e peões têm de ser bem usados na proteção ao rei e à dama.  

Brasão da Confederação Brasileira de Xadrez

O xadrez, para seus defensores, não é só um jogo, mas uma ciência, proporcionando o mais puro dos prazeres intelectuais. Na Rússia faz parte dos currículos esclares. Joga-se muito xadrez em todo o mundo e seus defensores dizem que é parte indispensável na educação. Desenvolve as faculdades de atenção, observação e raciocínio, como um verdadeiro organizador das faculdade mentais. Leibnitz dizia: "O xadrez é o único jogo que deve interessar à humanidade".
O xadrez pode ser aprendido por um jovem de 10 anos em duas horas. Sua origem é das mais remotas. Os nomes que recebeu são bem estranhos. Na língua portuguesa, apareceu no século XVI com as variantes ajedrez, shatranj(árabe), chatrang( do persa antigo), chaturanga(do sânscrito), échecs( francês - ano de 1080), scacchi(italiano, século XII), chess(inglês, séculos XII e XIII), schachspiel(alemão)... A verdade é que se discute se é um jogo que veio dos árabes, dos hindus, dos chineses, romanos, gregos, babilônios, judeus, irlandeses, galeses e outros povos. Hoje é aceito que se trata de um esporte do Hindustão, e que tinha o nome de chaturanha. Começou a se difundir a partir da Índia, Coréia, Japão, Rússia, Escandinávia, Escócia. Outros historiadores preferem dizer que ele entrou, vindo do Hindustão, pela Pérsia, hoje Irã. A verdade é que o xadrez sofreu algumas alterações, e a palavra xeque-mate vem do persa shah-mat, rei morto.

 

Hoje em dia existem clubes na Internet onde os jogadores podem jogar de suas casas tendo os mesmos progamas de jogar xadrez. O mais conhecido é o Chessmasteer(jogo de xadrez a venda nas lojas de softwares), que ganhou sua nova versão recentemente. O mais eficiente e difícil software de xadrez do mundo é o Deep Blue II, que conseguiu derrotar o campeão mundial, o russo Kasparov.

Surgiram muitas escolas de xadrez, mas o que se joga hoje é o que se jogava nos séculos XV e XVI, porém com técnicas variáveis. A Escola Espanhola foi muito importante e é um marco, com o livro de 1561, de Ruy López de Sigura, analisando e mostrando as regras, as técnicas e a evolução do esporte. A Escola Francesa aparece nos primeiros anos do século XX. Depois é a vez dos alemães, a partir de 1830, em Berlim.
No Brasil, o xadrez é jogado desde 1808, e em 1880 teve o seu primeiro torneio oficial. Há uma Confederação Brasileira de Xadrez (CBX) e existem as federações em cada estado. Henrique da Costa Mecking é nosso Grande Mestre e, recentemente, foi o campeão dos Jogos Abertos do Interior. Outros três mestres internacionais: Eugênio Maciel German, Gilberto Milus Jr. e Maria Cristina de Oliveira. No setor internacional, o russo Botvinnick (Mikail Moiseievitch), que aprendeu a jogar xadrez aos 13 anos e já era "mestre" aos 16, ganhou de todos os grandes campeões e foi campeão mundial em 48, 51, 54, 58 e 61. Smyslov, Mikail Thal, Petrossian, Spasski, Karpov foram outros campeões mundiais russos. Só o norte-americano Bobby Fischer, em 1972, é que rompeu esse "reinado soviético".  

Voltamos ao movimento das peças. Estas só podem ocupar casas desocupadas, e apenas o cavalo pode pular peças na sua movimentação no jogo. Ele pode mover-se das casas brancas para as pretas e vice-versa. Os bispos podem avançar quantas casas quiserem, apenas na diaonal da sua cor inicial. Os peões movem-se de casa em casa, apenas na mesma coluna, no início do jogo, e não podem recuar.
Segundo Stalda, "o xadrez não constitui uma simples luta de peças num tabuleiro de jogo, mas sim uma luta de duas vontades racionais que tendem ao mesmo objetivo".

Galeria de fotos e curiosidades

Dama - Tênis de mesa

[ Voltar para página inicial de esportes]